Se você não sabe qual é o momento certo para abrir uma garrafa especial, o Grand Hyatt São Paulo dispõe de experiências enogastronômicas que te ajudarão! 

O Wine Club é um evento bimestral para quem é apaixonado por vinho, e deseja criar experiências sensoriais cada vez mais impactantes a partir do contato com o fantástico universo dos vinhos.

A cada encontro, você será convidado a descobrir características, aromas e sabores surpreendentes de rótulos das principais importadoras do país e desfrutar a premiada gastronomia do Grand Hyatt São Paulo.

No dia 08 de agosto de 2019, os vinhos de guarda serão os protagonistas da edição de julho, que promete interação, explosão de sabores e sofisticação.

Para desfrutar de cada detalhe com excelência, saiba mais sobre esse tipo de vinho e os segredos que estão por trás de uma garrafa envelhecida.

Quanto mais velho, melhor?

As frases relacionadas ao discurso de que a qualidade do vinho diz respeito à sua idade faz parte do imaginário de apreciadores da bebida do mundo inteiro. No entanto, você já parou para pensar se isso é verdade?

Associar a qualidade da bebida ao seu tempo de vida é um dos mitos difíceis de serem removidos do universo que permeia o senso comum. Na verdade, 90% dos vinhos presentes nas prateleiras das adegas mundiais estão prontos para consumo.

Apenas 10% dos rótulos são considerados vinhos de guarda. É essa raridade que faz com que eles sejam tão especiais e merecem ser apreciados em grande estilo e sob orientação de especialistas da arte enológica.

Afinal, o que são vinhos de guarda?

A partir do início da fabricação, o tempo de vida de um vinho pode durar entre meses, anos, décadas e séculos. A maioria dos rótulos deve ser consumida jovem, entre o terceiro e o quinto ano de produção para que as propriedades sejam aproveitadas ao máximo.

Existem alguns vinhos raros que podem ser consumidos quando ainda estão jovens ou depois de estarem armazenados por décadas ou séculos, quando atingem o ápice do sabor, textura e aroma.

O que caracteriza um vinho de guarda?

O método do cultivo, tipo da uva e condições apropriadas de manipulação da vinha determinam o tempo em que alguns vinhos devem ser guardados para atingir a maturação. Além disso, os vinhos de guarda também são caracterizados pelos seguintes elementos:

Elementos químicos

Os vinhos de guarda possuem concentração diferenciada de tanino, responsável por pela sensação de secura na boca.

Processo oxidativo

A oxidação é um processo que acontece com qualquer vinho a partir do momento em que ele é produzido e engarrafado. O processo de oxidação dos vinhos de guarda é lento, o que garante a prolongação de sua vida.

Conservação

Mesmo dentro da garrafa, sob condições climáticas adequadas e na posição horizontal, o vinho sofre alterações a partir do contato com o meio ambiente.

A bebida é oxigenada a partir da passagem de quantidades mínimas de oxigênio pela rolha. Especialistas em enologia afirmam que as rolhas tradicionais contribuem para a melhor conservação da bebida.

Mulher servindo vinho na taça

Estrutura

Quanto mais robusto é o extrato do vinho, mais ele envelhecerá com qualidade no sabor e no aroma. Quando jovem, a bebida possui alto teor de concentração e uma textura encorpada, que seca a boca.

Com o processo de envelhecimento, o vinho fica mais leve e apresenta sabores mais marcantes.

Condições de produção

A qualidade da área de produção, o clima, e a técnica dos especialistas em fabricação de vinhos também são fatores que interferem na  prolongação vital da bebida.

Safras mais quentes tendem a produzir vinhos menos longevos, mas isso não é uma regra. A safra francesa de 2003, uma das mais quentes, ainda conta com rótulos que 16 anos depois, possuem potencial de ir muito mais além.

Em contrapartida, safras mais frescas, como as de 2006, já apresentam sinais de perda de vivacidade.

Coloração

Os vinhos de guarda brancos ganham uma cor com aspecto dourado. Com os tintos, o processo é inverso. Eles perdem o tom vivaz do vermelho e ficam com uma cor mais suave e cristalina.

Onde são produzidos os melhores vinhos de guarda do mundo?

França

A região de Bordeaux é conhecida pela produção dos mais tradicionais vinhos de guarda do mundo. Apesar de ser complexa a classificação da excelência de seus produtos, os Grand Cru estão entre os mais procurados.

Os tintos são produzidos a partir da combinação de uvas, como Cabernet Sauvignon, Merlot, Carménère, Petit Verdot, Cabernet e Franc Malbec. A produção de vinhos brancos é feita com a utilização das uvas Sauvignon Blanc, Semillion e Muscadelle.

Itália

O vinho de fabricação italiana mais conhecido é o Barolo, produzido na região do Piemonte. A uva utilizada na produção é a Nebbiolo.

Além dele, a mesma região produz o Barbaresco. Em comparação com o Barolo, ele passa menos tempo no barril antes de ser engarrafado. Por esse motivo, a concentração de taninos é menor.

Fabricado na Toscana, o Brunello di Montalcino possui sabor robusto e aromas intensos. Sua coloração escura e forte imprime maior sofisticação ao rótulo. Na mesma região, também é produzido o Chianti, conhecido pelo teor de álcool mais elevado em comparação aos demais vinhos.

Península Ibérica

No cenário espanhol, os rótulos que indicam Reserva e Gran Reserva são conhecidos pela qualidade e apuração do sabor com o passar do tempo. Em Portugal, os fabricados na região do Douro estão entre os mais cobiçados.

Participe da degustação de raridades no Grand Hyatt São Paulo

Além de todas as características peculiares que só um bom vinho de guarda tem, sabemos que o contexto da apreciação faz toda diferença e potencializa ainda mais a imersão sensorial.

Por isso, junte-se aos amantes dessa bebida cheia de histórias e mistérios, adquira seu wine pass e desfrute de momentos descontraídos, acompanhados de música boa, ambiente aconchegante e petiscos que harmonizam com os melhores vinhos da seleção!